08 MAY 18

Ciro afirma que seu governo será de respeito às diferenças e de imposição à tolerância

Os congressistas também tiveram a oportunidade de acompanhar as palestras a respeito do atual cenário da crescente intolerância no país

*PDT Diversidade/ Ramon Calixto

“Um governo presidido por mim será um governo de respeito às diferenças, da imposição à tolerância, de respeito às políticas afirmativas para todos os grupos que sofrem qualquer tipo de discriminação; negros, mulheres, LGBT, todos”. Foi com essa fala que o presidenciável Ciro Gomes disse a que veio, no 1º Congresso Nacional do PDT Diversidade, realizando no último sábado (5).

Além do candidato à presidência da República pelo PDT, o evento – realizado na sede do PDT em Guarulhos (SP) – contou com as presenças de delegados de 15 estados da Federação, militantes e autoridades. Amanda Anderson foi reconduzida para a presidência do PDT Diversidade.

Os congressistas também tiveram a oportunidade de acompanhar as palestras a respeito do atual cenário da crescente intolerância no país, da trajetória do movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) no âmbito de lutas, da realidade da carência de políticas para a população Idosa do segmento e de estatísticas de violação de direitos humanos e cidadania desta população brasileira. Por meio de Grupos de Trabalho, os delegados 14 estados mais o Distrito Federal, apontaram propostas que serão diretrizes de trabalho do movimento e que também irá compor o Plano de Governo de Ciro.

Ciro confirmou que dará voz à população LGBT em seu Plano de Governo e que será necessário debater para que se possa avançar na construção de um país mais igualitário.

“Façam seu documento, não deixem por menos, vou examinar, vou estudar, vou publicar e vocês vão ver que essa voz será a voz de vocês”, destacou. “Vou botar no meu programa escrito de governo. Essa polêmica eu quero pra mim. E era a última coisa, era só o que faltava, eu estigmatizar, eu discriminar alguém pela mera questão da orientação sexual. Isso é absolutamente medieval e nós precisamos por em debate isso no Brasil, com muita humildade, com paciência, respeitando esse Brasil bem intencionado que está aí, mas indo pra cima do Brasil oportunista, elitista e salafrário”, prosseguiu em sua fala.

Já para Amanda Anderson, a realização deste 1º congresso sinalizou um marco histórico para o PDT.

“Estamos nos sentindo realizados em concretizar o 1º Congresso Nacional do PDT Diversidade, pois, a partir de agora, iremos trabalhar em todas as instâncias de poder para a consolidação das demandas da população LGBT de nosso país”, enfatizou.

Para o vice-presidente nacional do PDT Diversidade, Ramon Calixto, este será o momento de mobilizarmos os milhões de LGBTs espalhados por todo o Brasil durante o período eleitoral.

“Somos mais de 20 de milhões, se mobilizarmos nossos familiares e amigos, somos capazes de decidirmos quem nos representarão nestas futuras eleições”, destacou.

Ao final do evento, os congressistas reformularam o regime interno para o próximo congresso e o estatuto que rege as diretrizes do movimento.

Bruno Ribeiro

Secretário Nacional de Comunicação da FLB-AP.

COMENTÁRIOS