21 FEB 19

No Rio, FLB-AP e JS valorizam jovens ao lançar projeto cultural “BR12”

Batalha de rimas sobre temas políticos e sociais baseiam disputa na sede da fundação pedetista

Por Fabio Pequeno

Quem disse que política e Hip-Hop não combinam? Na última quarta-feira (20), na sede da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, no Centro do Rio, foi lançado o projeto “BR12”. Organizada pela instituição de formação política do PDT e a Juventude Socialista (JS), a iniciativa vai promover um circuito cultural de hip-hop no formato de batalha de rima, que serão baseadas em temas políticos e sociais.

Nominada “Batalha da Tiradentes”, a série de atividades será de pontos corridos, acontecerá todas às quartas-feiras, sempre às 19h, na mesma sede pedetista e terá duração de três meses. Ao final, o participante que somar mais pontos será o campeão e ganhará uma viagem para Cuba.

Lançamento

Para os amantes das rimas, a noite foi cheia de surpresas e desafios na apresentação do projeto diante de dezenas de jovens mobilizadora de toda a cidade. Na próxima quarta-feira (27), já começa oficialmente as batalhas. O tema será “A Reforma Trabalhista e seu Reflexo no Cotidiano”.

Segundo um dos organizadores do projeto e militante de JS, Douglas Veríssimo, a dinâmica é um diferencial para cada participante.

“Aqui, o pensamento é rápido. Tem de ser bom com as palavras, caso contrário não vai conquistar pontos e consequentemente não vai ter aplauso”, relatou.

De acordo com Everton Gomes, vice-presidente estadual da FLB-AP, a data é especial e deve ser comemorada por conta do pioneirismo.

“Nós, do PDT e da Fundação, temos o orgulho de organizar este projeto. Somos o primeiro partido, no Brasil, que realmente vem com uma proposta de mudar a linguagem política, invertendo a dinâmica, onde só quem fala é o político. Aqui, é diferente. Quem tem voz e o microfone na mão é o povo”, afirmou.

“O jovem, por natureza, é rima, verso, ritmo e improviso. Por que a gente não pode fomentar essa vocação para fazer política?  O BR12 é uma nova forma de falar de política, fazer política. Queremos que aquele jovem contestador perceba o que existe de errado onde mora. É na roda de rima que o jovem também reivindica seu espaço na sociedade e cobra seus direitos”, concluiu Everton.

A MC Negra Rê relata que muitos imaginam que as disputas são baseadas em palavrões, frases preceituosas, racistas e rimas decoradas.

“A batalha é uma troca de ideias entre os participantes e quem ganha é aquele que fez a melhor rima, de acordo com a opinião dos jurados e, principalmente, do público”, conta a também organizadora do projeto.

“A missão do BR12 é distribuir cultura, assim como fez Leonel Brizola com os CIEPS. A linguagem pode ser um pouco diferente, mas a nossa forma de agir é mesma. Lutamos para que toda criança e jovem tenha educação de qualidade. E o MC para ser bom, precisa ler e estudar muito. Queremos jovens viciados somente em livros”, termina.

Premiação

Primeiro lugar: Viagem para Cuba;

Segundo lugar: Gravação de um vídeo clipe;

Terceiro lugar: Ensaio fotográfico;

 Inscrição e regulamento

Para conferir as regras, na íntegra, e os procedimentos para inscrição, acesse: bit.ly/2GzVaHn.

Galeria de fotos

Bruno Ribeiro

Secretário Nacional de Comunicação da FLB-AP.

COMENTÁRIOS